Follow by Email

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

UM BREVE OLHAR PARA A ATUAL SITUAÇÃO DA VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO

Mapa para o começo dos eventos em 21-11-2010
Trânsitos da violência no Rio.


Sinastria Sergio Cabral X Rio



Nossa mui amada cidade, bela entre as belas, vive, mais uma vez um episódio de confronto entre poderes o “poder paralelo” contra o poder legal. No domingo, 21/11, os aspectos natais de relações Sol-Plutão na primeira casa do Brasil, em “Big Square” aos planetas que são referência de ética, legalidade e ordem em seu mapa de fundação ficaram sob quadratura de Marte e Mercúrio em Sagitário, sua décima casa (sobre Urano e Nodo Norte natais) com nossos Sol/Plutão e Júpiter natais e oposição ao Netuno na quarta casa.

Este é um aspecto que ressalta a natureza violenta e o embate pelo poder que estiveram presentes desde sua fundação, pela luta travada entre os portugueses, que queriam manter sua posição estratégica de domínio para o novo “caminho para as Índias” em detrimento dos franceses, que apesar de sua boa-intenção de fundar uma “França Antártica” humanista e plurireligiosa, queriam dominar também este ponto estratégico. Para maiores informações, vá ao link http://www.ifch.unicamp.br/ihb/Textos/RPBrandao.pdf, e leia As Relações Étnicas na Conquista da Guanabara: índios e o domínio do Atlântico Sul, de autoria de Renato Pereira Brandão, texto publicado pela Unicamp.

Sua característica inata é a de um “poder acima do poder”, quer dizer, desde sua fundação, nossa cidade tem sido palco de disputas nada éticas.

Os trânsitos de Marte em relação a Plutão no céu (neste momento, em 4º.g) - no dia 14/12 haverá uma conjunção entre ambos - indicam que o problema de confronto violento está sendo subavaliado.

Na sinastria de Sergio Cabral, o governador, podemos verificar que sua aparente tranquilidade deve-se ao fato de sua Vênus (capacidade de escolha) está um pouco após à conjunção Urano /Nodo Norte do Rio de Janeiro - sob os efeitos dos trânsitos de Marte – porém em perfeita quadratura ao Plutão e Sol do RJ – quer dizer, ele não está fazendo as escolhas certas, apostando que a atual situação é circunstancial.

Talvez fosse mais sensato levar mais a sério, pois os trânsitos de Marte em relação a todos os lentos, tanto no céu, quanto do Rio, mostram que ainda pode piorar muito, logo, seria necessário contar com reforços federais.

Sem dúvida este será um ano bastante desafiador para o governador na condução dos destinos do Rio, não excluindo risco que sua famíla e ele mesmo possam correr.

Vamos aguardar as soluções e torcer para que este abra os olhos a tempo.




2 comentários:

Marcelo disse...

Olá Zarifa, possivelmente você nõa vai se recordar de mim. Aqui é o Marcelo. Frequentei o Grupo Lótus, primeiramente, e a Sociedade Teosófica depois, por um bom tempo. O artigo está muito bom, principalmente por ensejar uma discussão aprofundada sobre ética; não discussões sobre maniqueísmos óbvios do tipo "isso é certo, aquilo é errado" mas o que deveria ser uma discussão aprofundada. Comentando o fato em si, como carioca de origem, vejo que esse tipo de ação do tráfico é, a meu ver, circunstancial mesmo. Porque a política das UPP está afastando o tráfico. Um artigo mais completo sobre esse assunto está em http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/luiz-eduardo-soares-a-crise-no-rio-e-o-pastiche-midiatico.html
Grande abraço

Zarifa Mattar disse...

Olá, Marcelo, obrigada por sua opinião.

Creio que me lembro de você.

Fazendo uma reavaliação da situação no Rio, penso que, tendo em vista a correção de rota do governador, pedindo ajuda às forças armadas, podemos ter esperanças de uma melhora.

Só tenho minhas dúvidas se esse assunto vai ser encerrado, pois há interesses maiores envolvidos e os mais poderosos estão soltos...apenas os peixes pequenos estão encurraldos.

Por seu mapa natal, o governador corre riscos.
Abração.